18 de maio de 2017

Histórico

HISTÓRICO

historico

Nossa história está incorporada à própria história de nosso idealizador, Daniel Robert Suarez, o Daniel Cubano,  detentor de vários títulos internacionais, ex-jogador da Seleção Cubana, ex-atleta e técnico da equipe da Metodista/São Bernardo, atual técnico campeão da CBDU (Confederação Brasileira de Desporto Universitário) Feminino, técnico da Seleção Júnior Feminina da CBHb (Confederação Brasileira de Handebol), principal entidade da modalidade no País, coordenador técnico do Centro Olímpico de São Paulo e agora integrante da comissão técnica da Seleção Brasileira de Handebol feminina adulta.

Daniel Cubano veio jogar handebol em 1996, em um clube da cidade de São Bernardo do Campo/SP. Nesta época, os jogos eram realizados no extinto Volkswagen Clube e não haviam OSCs e/ou clubes que desenvolvessem a modalidade de handebol voltada a crianças em vulnerabilidade social. Em 2005, Cubano viu os seguranças do clube expulsando crianças que haviam pulado o muro para terem acesso às dependências do clube. Foi quando teve a iniciativa de solicitar ao presidente do Volkswagen Clube um horário para que ele pudesse trabalhar voluntariamente com as crianças das comunidades que margeavam o clube.

Sendo prontamente aprovado, nasceu a Mão Solidária. A partir de então, as crianças não precisavam mais pular o muro. Foram identificadas, cadastradas, uniformizadas e tinham acesso livre às dependências do clube pela porta da frente, obtendo a devida dignidade.

Em 2006, o Volkswagem Clube fechou, cancelando todas suas atividades e deixando nossas 200 crianças sem local para os treinos. No ano de 2007, nossas atividades foram transferidas para outro clube da cidade, o Clube Palestra de São Bernardo. Em 11 de novembro de 2011, foi criada a primeira diretoria, e, em janeiro de 2012, foi devidamente registrada em cartório e obtivemos neste mesmo mês nosso  CNPJ. Nesses 12 anos já atendemos mais de 1.500 crianças diretamente, uma nova diretoria foi criada, parcerias foram feitas e chegamos a ter 6 unidades, com média de 60 atendimentos por unidade.

Nosso objetivo é manter e ampliar nosso trabalho, de modo que perdure por muitos anos, marcando presença na sociedade e construindo um legado de transformação social por meio do handebol.